Dia Internacional das Florestas e Dia Mundial da Árvore

Com o intuito de se celebrar e sensibilizar para a importância de todos os tipos de florestas a Assembleia das Nações Unidas declarou, em 2012, este dia (21 de março) como o Dia Internacional das Florestas. É também, neste dia que se celebra o Dia Mundial da Árvore e o início da primavera, no hemisfério Norte.

Muitos aspetos da nossa vida estão ligados direta ou indiretamente às florestas os quais nem nos apercebemos. Simples ações como beber um copo e água, escrever num caderno, sentar num banco, tomar algum tipo de medicamento pala além de tantas outras tarefas quotidianas dependem diretamente das florestas.

As florestas, globalmente, ocupam quase 3,1% da superfície do solo do planeta1. No caso de Portugal Continental as florestas ocupam 3500 milhares de hectares2 e quer na Região Autónoma dos Açores quer na Região Autónoma da Madeira o coberto florestal ocupa cerca de 43% do território3, 4.

As florestas providenciam serviços vitais, desde a conservação da biodiversidade, o sequestro e armazenamento de carbono, a prevenção da erosão do solo e a qualidade dos recursos hídricos. Desempenham ainda um papel importante na redução da pobreza e na realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A gestão sustentável das florestas e o uso dos seus recursos é essencial para combater as alterações climáticas e para contribuir para o bem-estar dos povos, quer das gerações atuais quer das gerações futuras.

Apesar de todos os benefícios que nos fornecem, económicos, ecológicos, sociais e sanitários, todos os anos o mundo perde cerca de 10 milhões de hectares de florestas5, em parte devido à intervenção humana.

Atendendo ao papel que a Floresta desempenha em Portugal, no sequestro de carbono, na promoção de biodiversidade, na proteção dos solos, na regularização dos regimes hídricos, nas amenidades e também na vertente comercial, a Ordem dos Biólogos subscreveu o compromisso “Florestas 2030: Juntos pelo Futuro das Florestas e do Território” que expressa ao Governo, e aos portugueses, o empenho em contribuir ativa e positivamente para concretizar um quadro promotor de uma floresta com futuro, multifuncional, disponibilizando os seus meios, conhecimentos e vontades.

(1 – Global Forest Resource Assessment, 2020; 2 – Uso e Ocupação do Solo em Portugal Continental – Análise Temática 1, 2020; 3 – Carta de Ocupação do Solo da RAA, 2018; 4 – Inventário Florestal da RAM, 2018; 5 – FAO, 2021)