Mensagem do Bastonário José Matos

Caros membros da Ordem dos Biólogos,
Caros colegas,

Decorreram no passado dia 15 de março as eleições para os novos corpos sociais da Ordem dos Biólogos.

Quero em primeiro lugar agradecer aos candidatos de todas as listas pelo vosso empenho neste processo eleitoral, agradecer aos elementos da Comissão Eleitoral e a todos os votantes que fizeram destas eleições as mais concorridas de sempre, embora mantendo-se uma abstenção cronicamente bastante elevada.
Às listas vencedoras, desejo as maiores felicidades e que mantenham o ânimo, entusiasmo e capacidade de trabalho demonstrados durante o processo eleitoral e, em muitos casos, já demonstrados em mandatos anteriores ao serviço da nossa Ordem. Estou seguro que os corpos sociais agora eleitos são constituídos por biólogos de enorme valor, capacidade e vontade para realizarem um excelente trabalho que catapulte a OBio para novos patamares de reconhecimento público e que melhor vá servir os nossos profissionais e acima de tudo, os cidadãos.

Sendo esta a minha última mensagem numa Folha Informativa enquanto bastonário, quero deixar o meu enorme agradecimento a todos aqueles que trabalhando comigo ao longo destes anos me ajudaram a que o resultado final fosse positivo e reconhecido por muitos, dentro e fora da OBio, dentro e fora da profissão de biólogo. O meu obrigado a todos os elementos do Conselho Diretivo, do Conselho Nacional, da Mesa da Assembleia Geral, do Conselho Fiscal, do Conselho Profissional e Deontológico, dos Colégios de Especialidade e das Direções das Delegações Regionais.

O meu agradecimento estende-se igualmente aos Professores Destacados que têm trabalhado de forma muito empenhada no Centro de Formação de Professores da Ordem dos Biólogos e às funcionárias da Ordem que sempre me acompanharam, apoiaram e responderam positivamente às minhas inúmeras solicitações ao longo destes anos.

E quero agradecer também a todos os colegas biólogos que durante o mandato me apoiaram, me enviaram mensagens e me dirigiram palavras de incentivo e de felicitações, mas também de críticas construtivas, de chamadas de atenção e de alertas que seguramente me ajudaram a fazer um trabalho mais rigoroso, mais dedicado e mais profícuo.

Deixo o meu profundo agradecimento a todos os membros, pelo vosso trabalho que no passado recente marcou pela diferença, deu maior visibilidade à profissão de biólogo e demonstrou a importância social do nosso trabalho.

Um enorme obrigado aos Professores, que de forma dedicada e resiliente se transformaram de um dia para o outro em peritos em plataformas digitais, em profissionais de informática, em magos do on-line, para conseguirem ensinar e educar, em condições dificílimas, sem deixar ninguém para trás. Todos nós fomos estudantes e todos nós temos muito a agradecer aos nossos professores.

Obrigado aos investigadores e cientistas, ao permitirem que a investigação nas nossas Faculdades, nos nossos Laboratórios de Estado, nos nossos Centros de Investigação, nos laboratórios públicos e privados, nunca parasse, o que permitiu encontrar novas formas de lutar contra o vírus, criar novas formas de diagnóstico e possibilitou o avanço da ciência e da sua divulgação, numa altura em que tanta gente quer fazer desacreditar a ciência e as suas aplicações. Bem hajam por nunca pararem de trabalhar, por mais precário que seja o trabalho, por mais difíceis que sejam as condições.

Obrigado a todos os biólogos nas áreas da saúde, que são maioritariamente responsáveis pelos muitos milhões de testes realizados, por muita da sequenciação do genoma dos isolados dos vírus SARS-CoV-2 realizada, mas também por muitas das análises clínicas e testes genéticos que não pararam, pelos serviços de apoio a casos de reprodução medicamente assistida que não pararam e pelos muitos outros serviços que se mantiveram ativos durante este último ano.

Obrigado a todos os técnicos e investigadores nas áreas do Ambiente, da Biotecnologia, da Paleontologia, da Biologia Marinha, da Entomologia, da Microbiologia, da Bioinformática, da Genética Molecular, da Fisiologia, da Taxonomia, da Divulgação de Ciência, da Conservação da Natureza, da Virologia, da Inovação Científica, da Biofísica, da Bioquímica, da Biomatemática, a todos sem excepção, desde os que trabalham ao nível molecular até aos que trabalham em Ecologia, agradeço-vos pelo vosso trabalho que dignifica a nossa profissão! A todos desejo as maiores felicidades para o vosso futuro pessoal e profissional.

No final de um período de 7 anos de trabalho como bastonário e mais de 20 em diferentes cargos nos corpos sociais da Ordem dos Biólogos, termino agora as minhas funções associativas, com a mesma forte convicção com que entrei: “A Ordem dos Biólogos será sempre a nossa Ordem. Será sempre o que os biólogos desejarem que ela venha a ser. O nosso porto, a nossa voz, a nossa profissão e – porque é ela que estudamos – a nossa vida!”.

Não querendo fazer nenhum balanço destes dois mandatos, sei que saio com uma Ordem dos Biólogos com mais membros, mais (re)conhecimento, mais condições do que quando entrei. Mas tenho também a forte convicção de que esse percurso de desenvolvimento sustentável e sustentado será prosseguido e o futuro será sempre melhor que o passado, necessitando para isso do apoio de todos nós, os seus membros, os profissionais da Biologia, nas suas mais diversas vertentes.

Quero por isso deixar também um agradecimento e um abraço muito especial a um grupo de biólogos e futuros biólogos com os quais tive alguns dos momentos mais gratificantes da minha carreira profissional de 35 anos: os estudantes!

Obrigado a todos os Estudantes de Biologia do ensino Superior, aos estudantes dos Núcleos de Biologia das Universidades, à Associação Nacional de Estudantes de Biologia, aos estudantes com quem tanto convivi e conversei nas Universidades, no ENEB e por todo o país em palestras, workshops, ou simplesmente em jantares em Repúblicas ou em esplanadas. Foi sempre um enorme prazer discutir convosco o futuro da profissão e transmitir-vos confiança nas vossas bases e nas vossas capacidades.

E um obrigado também aos estudantes pré-universitários, que me deram a enorme honra e orgulho de com eles partilhar semanas intensas de participações nas Olimpíadas de Biologia, nas finais no país, nos treinos, nas Olimpíadas Internacionais ou Ibero-americanas… creiam que foi convosco que passei dos melhores momentos da minha vida profissional e agradeço-vos do fundo do coração o que fizeram pelo prestígio do nosso país.

A todos estou grato, a todos devo muito e quero por isso deixar-vos com uma expressão que aprendi nos meus tempos de estudante de doutoramento em Londres e que uso muitas vezes quando quero desejar o melhor àqueles de quem gosto e em que deposito muitas esperanças: Godspeed!

Até sempre, com amizade e gratidão

José Matos