Mensagem do Bastonário

 

Caros colegas,

Os tempos que vivemos têm obrigado as pessoas em todo o mundo a descobrirem uma palavra que para os biólogos é básica e fundamental no processo evolutivo: adaptação!

Na verdade, muito rapidamente os nossos professores tiveram que se adaptar a um ensino à distância em vez de presencial, os colegas investigadores tiveram que adaptar a sua investigação, todos tivemos que adaptar horários, procedimentos, rotinas, orçamentos, planos, objetivos.

Já tive oportunidade de relembrar numa curta intervenção para a Antena 1 a canção que o John Lennon dedicou ao seu filho, em que diz que “A vida é aquilo que acontece enquanto estamos entretidos a fazer outros planos”. Esta está a ser muito provavelmente a época das nossas vidas em que mais necessidade temos de alterar os nossos planos, numa base quase diária, e ajustar aquilo que desejamos fazer àquilo que podemos e devemos fazer.

A Ordem dos Biólogos tem adaptado largamente a sua atividade: as reuniões semanais com o Sr. Secretário de Estado da Saúde, Dr. António Sales e com a Sr.ª Diretora-Geral da Saúde, Graça de Freitas, as reuniões mensais do Conselho Nacional das Ordens Profissionais e todas as reuniões de âmbito geral ou específico passaram a ser realizadas à distância, os funcionários e colaboradores da Ordem estão a trabalhar, sem exceção, a partir de casa e a nossa atividade foi modificada.

As nossas ações de formação para professores estão dirigidas para a divulgação e utilização de tecnologias de ensino à distância (um agradecimento muito especial ao nosso colega formador João Mouro, que se tem desdobrado para poder realizar várias edições de formação com o maior número possível de formandos), temos prosseguido a tarefa de colocação de voluntários nos Laboratórios de Análises ao novo coronavírus, temos distribuído gratuitamente, um pouco por todo o país, viseiras e máscaras FFP2 aos colegas nestes laboratórios que delas necessitem, temos continuado a intervir na disseminação de informação rigorosa sobre a situação e em particular sobre os aspetos biológicos da epidemia e temos colaborado com as outras Ordens Profissionais na sinalização de situações de maior preocupação profissional e ambiental.

Mas mais do que a sua Ordem, os profissionais da Biologia têm maioritariamente mantido a sua atividade profissional com enorme sentido de responsabilidade e de cidadania. Sem palmas à janela, sem canções a eles dedicadas, têm no quase anonimato contribuído para que os nossos filhos tenham aulas, as nossas mesas tenham alimentos, os nossos pacientes sejam testados, o nosso ambiente seja cuidado e o conhecimento sobre a pandemia aumente.

Obrigado!

Quero agradecer ainda aos vários colegas que nesta época difícil nos têm feito chegar o seu desejo de, de alguma forma, apoiar a Ordem dos Biólogos nesta sua missão e tem sido muito compensador receber inscrições de novos membros que querem sinalizar de forma inequívoca o seu reconhecimento pelo nosso trabalho.

Entraremos muito em breve numa nova etapa deste processo, com uma quebra faseada das regras de confinamento, perigosamente confundida com um “voltar a normalidade”.

Os biólogos entendem bem a dificuldade de definir “normalidade”, quando tudo está sempre em mutação e seguramente o próximo normal será diferente do anterior. Vamos todos contribuir para que o futuro possa ser “normalmente” mais sustentável, mais equitativo e mais promissor. Vamos continuar a viver e a estudar a Vida…porque a vida é o que acontece enquanto planeamos o futuro.

José Matos

Bastonário